USINAS FLEX PODERÃO SER SOLUÇÃO PARA FALTA DE MILHO EM SC

USINAS FLEX PODERÃO SER SOLUÇÃO PARA FALTA DE MILHO EM SC

A previsão de redução na safra brasileira de milho, está levando as lideranças do agronegócio a pensarem em alternativas para o abastecimento do grão com o objetivo de manter  a competitividade das agroindústrias instaladas no Sul do País. Com uma demanda cada vez maior e com uma previsão de importar quatro milhões de toneladas, manifestam a intenção de buscar o grão diretamente do maior produtor mundial de milho: Os Estados Unidos. A proposta da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), reivindica uma revisão nas restrições burocráticas do Ministério da Agricultura para facilitar os trâmites principalmente na entrada do carregamento no Brasil.

PRODUÇÃO DE MAIS PROTEÍNAS NO BRASIL

AS USINAS FLEX  Podem cultivar o milho em consócio com a cana, aumentando assim a oferta de proteína (DDG) no Brasil.  No setor sucroenergético, era comum considerar o etanol de milho como um concorrente direto da cana-de-açúcar. Na pesquisa em andamento conduzida pela Embrapa, mostra o contrário. É possível obter benefícios e até aumentar a produtividade da cana-de-açúcar via uma técnica de consórcio com o milho. Ao mesmo tempo pode-se intensificar a produção de milho em áreas já ocupadas por cana solteira. Após a extração do etanol do milho, o subproduto é o DDG (sigla em inglês para grãos secos por destilação), um material com excelente propriedade para suplementação de animais. Dessa forma, o milho pode ser utilizado para alimentação animal. Rico em proteínas, é amplamente utilizado em ração animal para bovinos, suínos, aves e peixes e pode substituir 100% do farelo de milho na fabricação de ração.   

Resultados de experimentos conduzidos na Embrapa Cerrados(Planaltina-DF) apontam para maior produtividade da cana-de-açúcar de ano consorciada com milho. A cana-de-açúcar solteira, plantada em março de 2016, produziu 114 TCH (Toneladas de Colmos por Hectare), enquanto que a produtividade da cana de ano consorciada, plantada em novembro de 2015, foi de 127 TCH. A produtividade do milho não foi afetada pelo consórcio.

A TSG TECNAL e as Usinas Flex.

TSG Tecnal vem acompanhando e participando do projeto RenovaBio desde seu início, investindo no desenvolvimento de tecnologia própria e 100% nacional em Usinas Flex. Desde ampliações de capacidades de produção, independente da tecnologia implantada, até a construção de unidade completamente nova em regime Turn-Key (chave na mão).